• Não ao Centro Logístico em Paranapiacaba
    O Centro logístico ameaça uma área de proteção ambiental com importantíssimo valor histórico nacional, turístico, paisagístico e de serviços ambientais como provisão de águas para a Represa Billings, prevenção de doenças, sequestro de carbono, abrigo para espécies raras e/ou ameaçadas de extinção, etc. O progressivo aumento do tráfego de caminhões e carretas afetariam o turismo por colocar em risco ciclistas, visitantes em ônibus turísticos, espécies sensíveis aos metais pesados expelidos pelos escapamentos dos veículos e a qualidade ambiental. Tais impactos colocam em risco mais de 18 anos de estudos, desenvolvimento, geração de trabalho e renda, e aprimoramento do turismo na Vila Histórica de Paranapiacaba, tombada no âmbito municipal, estadual e federal, ou seja, potencial atrativo para pessoas de diversos municípios, estados, países, faixas-etárias e classes sociais. Assine e diga não ao Centro Logístico em Paranapiacaba! Fonte: SOS Paranapiacaba
    112 de 200 Assinaturas
    Criado por Raquel Arminda Picture
  • Queremos a saída de Ricardo Salles
    O Ministério do Meio ambiente, apesar de não ter se fundido com o Ministério da Agricultura, só existe no papel. De acordo com o blog Mar Sem Fim Ricardo Salles, o ministro, por enquanto conseguiu demonstrar ignorância, e arrogância. T Em menos de dois meses ficamos sabendo que ele nunca antes teve a curiosidade de conhecer a Amazônia; é preciso ‘ter o meio ambiente no sangue’ para tanta apatia, hein ministro? Ricardo ainda mostrou-se arrogante e deselegante ao frigir a Suely Araújo, ex-presidente do Ibama, pelo simples fato dela ter feito um belo trabalho na gestão Temer. E, mesmo com Brumadinho, ele continua a defender licenciamentos mais ágeis, e até mesmo o ‘auto- licenciamento’ de obras que ofereçam riscos. https://marsemfim.com.br/equipe-do-ministerio-do-meio-ambiente-decepciona/ Ricardo Salles é conhecido – pela justiça, no caso – com especialista em canetadas criativas. Como contamos há alguns dias, ele foi condenado por improbidade administrativa após adulterar um mapa para beneficiar mineradoras. Explica o Theintercept_ Brasil, que recentemente demonstrou que o Ministro mente, inclusive, com relação a sua formação educacional. https://theintercept.com/2019/02/23/ricardo-salles-yale-mentira/
    3.192 de 4.000 Assinaturas
    Criado por Dia do Basta
  • Proteção
    À negligência com os animais da cidade de Porto Alegre, RS ,não é fiscalizada e os animais passam fome e muitas vezes morrem atropelados. Sem fiscalização nenhuma nas ruas e nas casas, ninguém sabe se tem um animal sendo torturado essa hora em uma casa qualquer,por exemplo. Isso tem que acabar! Os animais precisam ser vistos com o mesmo olhar que as pessoas tem pra alguém.Nao podemos deixar que a vida dos animais seja vista apenas com denúncia, existe regiões "invisíveis " da qual a ignorância é tanta que nem se quer sabem o que é uma denúncia ou nem se quer denunciam maus tratos aos animais.E os mesmos passam uma vida inteira em condições indigna. É violência,é crime! A quem interessa, Obrigado!
    15 de 100 Assinaturas
    Criado por Aline Barbosa
  • Os animais precisam de pelo menos um amigo na vida. É você?
    Muitos cães em Portugal são maltratados. Cães abandonados têm que se defender nas ruas, sofrendo de fome, doença ou feridas. Alguns deles foram usados ​​para caçar porcos selvagens e descartados quando não eram mais necessários. Não é incomum que cães de caça acidentalmente ou deliberadamente recebam ferimentos que necessitam de tratamento urgente. Cães domésticos também estão sofrendo. Eles são frequentemente vistos no sol quente, na coleira, sendo deixados sozinhos o dia todo sem amor e atenção, às vezes sem água. A Animalhelp Portugal pretende melhorar a vida dos cães sofredores em Portugal: · Ajudando abrigos de animais com captação de recursos · Colabore em programas de desexposição · Fornecer informações e diretrizes aos conselhos locais e ao governo · Educar os donos de animais e conscientizar sobre o bem-estar animal O que queremos alcançar é: · Todos os cães devem ser micro-lascados para que seus detalhes sejam armazenados em um banco de dados · Receber financiamento para programas de desexposição · Ter planos de adoção em vigor · Ter diretrizes para donos de animais de estimação · Melhores leis de crueldade contra animais Precisamos da sua ajuda para chamar a atenção da União Europeia e do Presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa! Por favor assine esta petição e encaminhe para seus amigos amorosos animais Se você quiser se envolver, por favor, vá para a página do facebook da Animalhelp Portugal https://www.facebook.com/groups/1239099429492933/ e entre em contato com Marja Wijnhoff.
    11 de 100 Assinaturas
    Criado por Slava Digriz Picture
  • NÃO A CONSTRUÇÃO DA BARRAGEM NA CIDADE DE PEDREIRA-SP #BarragemNÃO
    QUANTIDADE DE ÁGUA 38.000.000.000 de metros cúbicos, equivalente a 12 estádios do Maracanã TAMANHO 52 metros de altura, equivalente à um prédio de 16 andares TIPO DE BARRAMENTO 70% de terra socada e apenas 30% de concreto. DISTÂNCIA DA CIDADE menos de 1 km das primeiras casas do Bairro Ricci, 2,5 km do centro da cidade PERIGOS: Tempo estimado de alcance das águas em caso de rompimento: 1 minutos das primeiras casas e 2 minutos do centro da cidade Classificação de risco numa escala de 0 à 30 pontos (no total) 27 pontos. Acima de 16 pontos já é considerado ALTO RISCO* *conforme classificação do CNRH (Conselho Nacional de Recursos Hídricos). A ÁGUA IRÁ PARA REPLAN em PAULÍNIA-SP A Barragem de Pedreira-SP não trará nenhum benefício para a cidade, pelo contrário, servirá para abastecer a REPLAN que está passando por uma modernização e capta 660 litros de água por segundo para produção de diesel e gasolina. SERÁ CONSTRUÍDA PELA OAS Cetenco A OAS é conhecida nos noticiários como uma empresa envolvida com muitos crimes políticos, como caixa 2 e pagamento de propina a políticos. RISCOS - risco de abalo sístimico devido ao peso aplicado sobre placa tectônica do município - desequilíbrio ambiental (aumento de insetos como mosquitos) - falta de água pela destruição da mata ciliar e das nascentes - contaminação dos lençóis freáticos e nascentes - volume excessivo de água lançado sobre a cidade em caso de rompimento - aumento da vazão do rio (maior risco de enchentes em época de chuva) IMPACTOS NEGATIVOS PARA NOSSA CIDADE - Pedreira ficará como área de risco permanente - desvalorização dos imóveis - proibição de novas ocupações nas áreas de risco (abaixo da represa) - impedimento do progresso da cidade (não poderá ser construído novas casas na cidade) - desetruturação de sistemas públicos pelo aumento de pessoas na cidade NO ROMPIMENTO DA BARRAGEM, NÃO TEMOS PRA ONDE CORRER - alta densidade demográfica - limitação de vias de saída existentes - não há um plano de ação emergencial eficaz - não há tempo suficiente para retirada de moradores do local ALTERNATIVAS PARA NOSSAS ÁGUAS - combate ao desperdício de água ( Pedreira perde 56% da nossa água na distribuição) - cuidar das matas ciliares - recuperar nossas nascentes O MAIOR CRIME AMBIENTAL DA NOSSA HISTÓRIA Enquanto o mundo busca alternativas sustentáveis para preservar o meio ambiente e assim garantir vida longa planeta, o DAEE e a empresa contratada OAS estão: - destruindo nossos sítios arqueológicos e nossa história - destruindo nossas áreas de proteção ambiental que com a barragem serão alagadas - destruindo nossa mata ciliar derrubando árvores centenárias - destruindo o habitat de nossos animais nativos, muitos em extinção - destruindo nossas nascentes, soterrando a água que alimenta nosso Rio Jaguari FOMOS ENGANADOS!! - não foi concedido alvará municipal para a construção obra - na projeto não há comprovação de que a água abastecerá Pedreira - não foi esclarecido os critérios utilizados para a escolha da nossa cidade - não foi realizado audiências na cidade com participação das pessoas que seriam atingidas - as reuniões foram feitas fora de nossa cidade, sem conhecimento dos interessados - não há transparência no projeto sobre os riscos ambientais e socioeconômicos - os estudos de impacto ambiental apresentados já estão vencidos - há inviabilidade na utilização da água para consumo humano NÃO CONSIDERARAM: - a distância entre a barragem e nossas casas - os impactos socioeconômicos em nossa cidade - o impacto negativo à nossa fauna e flora - a segurança da população em caso de rompimento - as limitações do uso e ocupação do nosso solo - a classificação de área de risco - a flutuação dos nossos lençóis freáticos - o risco de rompimento em razão de eventuais abalos sísmicos - o risco de rompimento devido a infiltrações nos 5 primeiros anos >> NÃO PODEMOS ACEITAR TAMANHA TRAGÉDIA EM NOSSAS VIDAS! << COMO PODEMOS IMPEDIR ESSE DESASTRE? - assinando o abaixo assinado - participando das manifestações, reuniões de bairro e audiências na Câmara - seguindo nossas redes sociais - comentando e compartilhando o conteúdo postado - participando do nosso grupo no Whats App - conversando com nossas família, amigos e vizinhos sobre os riscos - cobrando do prefeito e vereadores ações efetivas A favor da Vida! #barragemNÃO #aquiNÃO #pedreiraSP
    1.973 de 2.000 Assinaturas
    Criado por Barragem NÃO! Pedreira-SP Picture
  • Utilização da Palmeira Leque para diminuição da perda de biodiversidade do Bioma Mata Atlântica
    Fazer a retirada desta espécie exótica do Bioma é extremamente importante, pois assim as disfunções ecossistemicas que se propiciaram a aquele ambiente irão ser estabelecidas trazendo instabilidade na fauna e flora nativas presentes no Bioma Mata Atlântica. Outro ponto grande importante seria que estas Palmeiras retiradas serão utilizadas no PLASBIO. Esta retirada é muito importante, ja que a segunda maior perda de biodiversidade do planeta é devido a introdução das espécies exóticas em ambientes nativos.
    16 de 100 Assinaturas
    Criado por Vitor Tupinambá Marques
  • lei federal contra o desmatamento 2019/1
    contra a impunidade e corrupção dos exploradores que sempre são os mesmos
    21 de 100 Assinaturas
    Criado por Marcio Santos Picture
  • Helpet
    A importância de um projeto como este se baseia na iniciativa de conscientização da população pela causa animal. O primeiro ponto é de dar suporte aos animais que estão expostos nas ruas. Em tempos de calor excessivo e chuvas fortes, esses animais passam por necessidades extremas como sede, queimaduras nas patas, fome, etc. O segundo ponto é como eles fazem para sanar esse tipo de necessidade, como rasgar sacolas plásticas, espalhar lixo, brigar com outros animais por comida, água ou território. Alguns se tornam arredios, mas outros, por sua vez, se tornam agressivos. O terceiro ponto é a conscientização de adoções e de castração. Para não só diminuir a população nas ruas mas para dar um lar aos que já estão por lá.
    42 de 100 Assinaturas
    Criado por Jéssica Monteiro Alves
  • Justiça para Nina a gata morta a pauladas em parati
    Importante para darmos exemplo que existe Lei e Justiça. Matar animal é crime!
    3.286 de 4.000 Assinaturas
    Criado por Cristina Amaral Picture
  • Praia do cassino sem lama!!!!
    Embora se reconheça a importância da dragagem para o bom funcionamento do porto, seri importante que essa não gerasse um impacto ambiental na praia prejudicando a orla, matando animais, impactando no turismo e comércio da região.
    1.009 de 2.000 Assinaturas
    Criado por Pingo Ferreira Picture
  • UK deve proibir animais selvagens em circos
    Como os animais são dotados de emoções, sentem medo e dor. Eles tecem laços sociais fortes e como desejamos apenas viver livres. Portanto, nos opomos fortemente à exploração e ao sofrimento dos animais para o nosso "entretenimento". E peço-lhe para pôr em prática a proibição de circos com animais nas nossas comunas. Durante o período de entressafra, os animais ficam em caixas de transporte, estábulos ou mesmo em caminhões ou reboques. Poucos circos têm meios ou vontade de investir em abrigos adaptados que servirão apenas alguns meses por ano. Este confinamento tem consequências físicas e psicológicas devastadoras. Um estudo americano revela que os elefantes em cativeiro passam cerca de um quarto de seu dia balançando a cabeça ou balançando compulsivamente, enquanto os ursos vagam pelas gaiolas para frente e para trás. Os animais usados ​​pelos circos são constantemente transportados de uma representação para outra em um ambiente onde suas necessidades mais básicas não podem ser atendidas. Mais de 90% do tempo, eles são presos em vagões de gado, ou recintos temporários, e podem ser espancados e punidos como parte de métodos de treinamento desumanos. Isto não é um entretenimento. Animais em circos são privados de tudo o que é natural e importante para eles. Seu equilíbrio mental é quebrado e eles estão isolados, acorrentados, sozinhos, degradados e ociosos. Comportamentos como ritmo, barras cortantes, circulando e automutilação são comuns em animais de demonstração. Atualmente, reconhece-se que esse comportamento neurótico é causado pelo cativeiro e por um estilo de vida artificial. Todos os animais mantidos em circos têm necessidades específicas. Alguns, como os leões, precisam de um clima quente; outras, como os ursos, têm um clima mais fresco. Todos precisam de espaço, atividades, conexões sociais, água e comida em quantidade suficiente. Nos circos, eles não têm nada disso. Eles estão trancados em gaiolas de transporte ou canetas estreitas das quais só saem para fazer o seu número. Porque os animais não andam naturalmente de bicicleta, não ficam de cabeça, não balançam em balões ou não pulam através de aros de fogo, treinadores usam chicotes, colares apertados, focinho, bastões elétricos, varas de pique ("touro") e outras ferramentas dolorosas para forçá-los a realizar seu show. O castigo físico tem sido o método padrão de treinamento para animais em circos. Animais em cativeiro são conhecidos por "crack" sob pressão. Houve dezenas de mortes e ferimentos humanos documentados atribuíveis a animais mantidos em circos ou outros ambientes cativos.  Em seus lugares, preferimos não preferir viver LIVRE com os riscos que isso acarreta, mas aproveitar a nossa liberdade, cercada pela nossa ou então viver uma vida de solidão em uma jaula, percorrendo quilômetros e quilômetros em caminhões, para executar truques. para a boa vontade dos treinadores, estar sujeito às suas vontades e fazer truques contra a natureza, como sentar em suas nádegas para um elefante que pode causar graves lesões internas. Não é melhor encorajar programas de conservação de espécies nos países de origem desses animais e mostrar relatórios muito bonitos para crianças e adultos que desejam descobrir esses animais em seu ambiente natural? Longe de ser apenas um debate social, a presença de animais em circos também torna as cidades responsáveis ​​por sua obrigação de fazer cumprir a legislação vigente. Além disso, gostaríamos de lembrar que os estudos científicos concordam que a detenção em circos é contrária às necessidades fisiológicas dos animais selvagens.
    26 de 100 Assinaturas
    Criado por Slava Digriz Picture
  • OS PÁSSAROS PEDEM SOCORRO
    Estão construindo prédios de 10 andares na Av. João Pessoa em frente ao Parque. Isto está interferindo na circulação dos pássaros na região. No local existem muitas casas com pátios onde tem muitas árvores (araçá, pitanga, coquinho, abacate, ameixa, laranja, entre outras nativas e exóticas: são mais de 30 árvores) que servem de alimento e abrigo para pássaros (sabiá laranjeira, sanhaçu azul, sanhaço laranja, periquitos, papagaios, cambacicas, pardal, pomba rola, pica pau amarelo, várias espécies de beija flor, gavião, sabiá una), insetos, morcegos. Já esta sendo construído uma prédio em local onde foram derrubadas várias árvores, entre elas uma araucária de mais de 50 anos que era local de nidificação de bem-te-vis e rabos-de-palha. Pássaros que não são mais vistos na região. Já foram derrubadas 11 árvores sendo que a compensação ambiental seria plantar 3 mudas no local em janeiro de 2018 e que não foram plantadas até agora. Além disto, a construção de prédios altos vai dificultar a circulação de ar na região e influenciar na qualidade de vida das pessoas que ali habitam. Ainda, a construção de mais prédios vai aumentar o afluxo de carros e pessoas na região dificultando a mobilidade sendo que hoje já temos congestionamentos na av. João Pessoa e arredores. O parque é uma importante área verde próxima ao centro da capital contribuindo para a circulação do ar e consequente diminuição da poluição mas isto será modificado com a construção de prédios altos na região.
    83 de 100 Assinaturas
    Criado por Suzana Nietiedt