• NÃO AGUENTAMOS MAIS TANTO DESCASO COM OS ANIMAIS
    Nossa cidade virou um caos! Todos os dias aparecem novos casos de abandono de cães e gatos jogados à própria sorte, esses sofrem com atropelamentos, doenças, frio, fome, agressões e outros infortúnios. A comunidade protetora de animais está cansada dessa luta, pois parece não ter fim! É por isso que estamos aqui! Como um grito de um bugio, clamamos por aqueles que não têm vozes!
    527 de 600 Assinaturas
    Criado por Debora Yoshiko Tamaki Rezende Picture
  • Horto Florestal da FZB Preservado Sempre
    Brizola quando Governador na decada de 50 criou o Horto Florestal e Parque Zoológico para as futuras gerações do RS em detrimento das de forças contrárias os empresários de grandes empresas da época. Aqui o manifesto do Biólogo: Por Renato Petry Leal – biólogo Ainda não se viu retrocesso na manobra deletéria intentada contra o patrimônio natural da região tendo como alvo o Horto Florestal ou Reserva Florestal Balduíno Rambo. Vergonha. Não ter capacidade ou intencionalidade para o uso adequado do bem comum não significa poder destruir o patrimônio de presentes e futuras gerações. Arquiteta-se o maior crime ambiental da atualidade em nossa região. As mortandades de peixes no Rio dos Sinos, que tanta comoção causaram, são muito pouco se comparadas ao desmembramento e transformação de algo que não oferecerá condições de recuperação. Por menos que se prometa destruir agora, sabe-se, com certeza, que este seria o pontapé inicial para a deterioração da área. Existem grupos que se consideram ilhas no universo humano. Não o são! São apenas pequena parcela do todo muito maior e mais importante. Nesse sentido, em 1979, na Campanha da Fraternidade, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil desenvolveu o tema Preserve o que é de todos. Trata-se de superar o egoísmo, a ganância de possuir mais a qualquer preço. Trata-se de ser escrupulosamente preocupado em preservar e conservar o ar, a água, a flora e a fauna que são elementos necessários ao próximo. Trata-se de readquirir o carinhoso respeito e a contemplativa admiração face às belezas da natureza. É exatamente o que devemos fazer pois a reserva pertence a todos. Os nomes de Henrique Roessler e Balduíno Rambo são frequentemente utilizados por pessoas que não acreditam neles, que estão se lixando para os seus ensinamentos. Querem somente se promover à custa de seu prestígio, este sim merecido. Está na hora dessas pessoas que só querem promoção pararem de utilizar seus nomes. Na faculdade tive um professor de botânica, Pe. Aluísio Sehnen, do qual me considerei amigo, pessoa de alta moral, bondade, cultura e inteligência, jesuíta de escola, respeitadíssimo em seu meio. Companheiro de Balduíno Rambo em várias de suas andanças pelo estado, herdeiro de seu herbário e do seu famoso jipe. Mesmo após eu me formar conversávamos sobre variados assuntos, entre esses, o Horto Florestal. Explicou-me sua importância e a necessidade de preservá-lo incólume. Era defensor ainda da preservação da mata do Daniel, na Sharlau e do matinho do Padre Réus, último reduto de mata original no centro de São Leopoldo. Muito lutei, assim como os outros, por sua manutenção, que veio a ocorrer graças à cultura e inteligência de Telmo Lauro Müller e Nelson Moelecke que abdicaram da construção do Museu Histórico naquele local. Depois disso tudo eu fico pensando, será que não se fazem mais homens como antigamente? Prevalecerá o bom senso ou o descaso egoísta?
    43 de 100 Assinaturas
    Criado por Miriam Colombo
  • USINA EM PERUÍBE, NÃO!
    Sempre se falou em sustentabilidade, cuidar da natureza para não acabar com o pouco que resta de nossa natureza... ensinar nossos filhos a preservação e saber respeitar o que a natureza nos proporciona. Qualidade de vida, para também poupar os órgãos públicos de gastos com saúde... proteger nossos filhos, netos, bisnetos de doenças graves. Há outras formas de conseguir renda para a cidade e os governantes tem consciência disso, que podemos trazer mais turismo para a cidade, pois somos um balneário turístico e não queremos ter ar poluído, águas poluídas, animais em extinção, chuva ácida e terras contaminadas. Leiam mais em: https://secure.avaaz.org/po/petition/Ministerio_Publico_EstadualSP_e_Prefeitura_Municipal_de_Peruibe_Cancelem_o_licenciamento_e_projeto_de_Usina_Termeletrica/?fxNmzfb&pv=30&utm_source=sharetools&utm_medium=facebook&utm_campaign=petition-414535-Ministerio_Publico_EstadualSP_e_Prefeitura_Municipal_de_Peruibe_Cancelem_o_licenciamento_e_projeto_de_Usina_Termeletrica&utm_term=xNmzfb%2Bpo
    36 de 100 Assinaturas
    Criado por Marly Maiotto
  • Não vamos deixar acabar com o Lagamar do Rio Cauípe
    Vamos manter a natureza preservada e não prejudicar o povo que nasceu e vive nessa região. Não podemos deixar que o capitalismo e o ganho das indústrias sejam colocados em prioridade.
    791 de 800 Assinaturas
    Criado por Paulo Rubens França Picture
  • SOS Cocó
    Contra o extermínio das Dunas do Cocó - Abaixo à LUOS! Ato de repúdio realizado neste sábado (12/8) pelo movimento ambientalista de Fortaleza, para protestar contra a nova Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS) do município, que revogou a lei que criou a Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) das Dunas do Cocó, de autoria do ex-vereador João Alfredo. O prefeito Roberto Cláudio sancionou, a jato, o projeto aprovado na Câmara Municipal por vereadores a serviço da especulação imobiliária. O objetivo da revogação desta importante lei que protege as dunas do Cocó é entregar as milenares dunas parabólicas para as construtoras transformarem tudo em prédios. Com isso, todas as espécies de fauna e flora, que já se encontram ameaçadas, correm o risco de serem exterminadas. O Ecossistema do Parque do Cocó é completamente interdependente. Logo, acabando com as Dunas milenares, o parque todo estará comprometido. #SOSCocó #ContraoextermíniodasDunasdoCocó #CaiForaSinduscon #InvestigaMP #Luospraque #Fortalezapraquem
    23 de 100 Assinaturas
    Criado por Jessica Costa Picture
  • Pelo fim da destruição dos atrativos turísticos da Chapada Diamantina.
    Usando o correto manejo do Morro do Pai Inácio como exemplo para o manejo dos demais atrativos turísticos.
    34 de 100 Assinaturas
    Criado por Luiz Francisco Eduardo Jorge Krug
  • SOS Rio Tocantins: Ajude a denunciar esse crime ambiental
    Para que não seja afetada além do abastecimento de água das cidades, também a vida tanto humana como animal, bem como a biodiversidade e o meio ambiente ao longo do rio. E não seja afetada a economia local, como por exemplo, a geração de emprego e renda, a todos aqueles que precisam e necessitam do Rio Tocantins para sobreviver.
    1.720 de 2.000 Assinaturas
    Criado por Nilton Ferreira Barros Picture
  • TERMOELÉTRICA EM PERUÍBE : Vamos pedir Audiência Pública nas cidades atingidas
    O projeto Atlântico Verde Termoelétrica de Peruíbe da empresa vai destruir as Áreas de preservação ambiente, a linha de Transmissão passará próximos as Aldeias Indígenas de Itanhaém e o gasoduto de 90 km passará proximo as cidades....É muito preocupante !! O projeto unclui : - 2 navios plataforma para regaseificação do GNL pars GN - gasoduto de 90km, desde Peruíbe até Cubatão - subestação UTE em Peruíbe - Linha de Transmissão desde Peruíbe até Cubatão
    76 de 100 Assinaturas
    Criado por Syllis Flávia Paes Bezerra
  • Leishmaniose, o cão não é o vilão. NÃO À EUTANÁSIA
    Respeito ao meio ambiente e as demais formas de vida. Animais saudáveis estão condenados a morte. Por mais que exista a possibilidade de tratamento, estão condenados a morte por uma medida mais pratica a ser tomada.
    2.556 de 3.000 Assinaturas
    Criado por Luciele de Souza Picture
  • Todos pelo Sumidouro
    Pretendem instalar na paradisíaca ilha de São Francisco do Sul mais um porto. A ilha de São Francisco do Sul é quase 3 x menor que a CIDADE do Rio de Janeiro e menos que 2 x maior que Santos apenas. Já tem um porto público, o TGB um terminal graneleiro que já tem a liberação para destruir vasta extensão de vegetação para o início da construção, o projeto de um porto chamado MarAzul, o estaleiro CMO e este projeto atual Porto Brasil Sul, além de inúmeros armazéns que armazenam grãos e fertilizantes. Fertilizantes que causaram a evacuação de vários bairros, inclusive do hospital, deixando um bombeiro em estado grave por inalação da fumaça., após um incêndio químico em 2015. Vale lembrar que mais armazéns deverão ser construídos porque mais fertilizantes estarão em movimento. São Francisco do Sul se transformará na Nova Cubatão, sem manguezais, águas poluídas e uma bomba relógio com um única saída, uma rodovia de mão dupla para a retirada de quase 50.000 habitantes.O Porto Brasil Sul terá área de 146,28 hectares (o equivalente a 1.460.000 metros quadrados, na entrada do canal de acesso ao Porto de São Francisco do Sul. O acesso pela rodovia Duque de Caxias vai se conectar ao Norte da BR-280, rodovia de acesso ao Porto de São Francisco do Sul. No local deverão ser construídos sete terminais portuários – de contêineres, granéis, cargas gerais, fertilizantes, gás natural, de produtos líquidos, e mais um terminal de veículos, além de centro administrativo.O empreendimento vai ter área acostável de 2.412 metros. Para operar com segurança, está estimada a necessidade de dragagem de 407.600 metros cúbicos (extremamente prejudicial à preservação das Toninhas, animais que vivem na Baia da Babitonga e ameaçadas de extinção) especialmente para atender às demandas dos terminais de granéis fertilizantes e terminal de gás. Ainda será necessário fazer derrocagem de 301.909 metros quadrados e implantação de quebra-mar para viabilizar o terminal de gás. Na região do Sumidouro, onde este porto pretende se instalar, existem espécies da flora endêmicas que não existem em outro lugar. Não há como compensar esta destruição. A população de São Francisco de Sul exige um amplo estudo e avaliação do impacto do trânsito de caminhões nessa localidade, o grau de poluição sonora e das águas, sem contar com o prejuízo a um dos berçários de aves da mata atlântica mais importantes do Sul do país. Haverá a supressão e devastação de mais de 4km de restinga e mangue apenas nas obras do porto, e não há informação sobre como será feito o acesso a este porto de maneira viável já que as estradas que levam até o local não comportam o trânsito de turistas hoje. Provavelmente além dos 4 km devastados será necessária uma devastação ainda maior, além de desapropriações para a construção destes acessos . A cidade já conta com um Porto Público (APSFS), Um Porto Privado (TESC) e do outro lado da baia da Babitonga ainda temos o Porto de Itapoá, sem mencionar outros investimentos da área portuária como o Terminal Graneleiro da Babitonga (TGB), o porto MARAZUL e o estaleiro CMO. Ajudem‐nos a proteger a baia da Babitonga. somos a favor da preservação da Área de Preservação Permanente na praia do Forte e o desenvolvimento da ilha através de projetos sustentáveis e amparados por leis federais. Somos a favor do turismo ecológico, do apoio à micro empresa ligada ao turismo em todas as suas áreas, do turismo esportivo, turismo receptivo e da pesca artesanal. Isto trará renda às famílias locais e o desenvolvimento do município.
    33 de 100 Assinaturas
    Criado por Aninha Tibério Picture
  • "pela preservação da amazônia brasileira"
    Para preservar o clima no planeta e as chuvas necessárias para o Sul do País,caso contrário não teremos em breve águas em resrevatórios e o clima na região Sul do Brasil será, dentro em breve, drasticamente afetado pelo desmatamento predatório na Amazônia,cujo desastre não terá volta!!
    71 de 100 Assinaturas
    Criado por germino marques
  • Queremos castração pública para gatas
    Uma castração pública irá diminuir a quantidade de animais soltos na rua.
    88 de 100 Assinaturas
    Criado por Dornelio Santorini Picture