• Preservação da Àrea Verde da Serra de Santa Helena Sete Lagoas MG
    Pois bem, toda área de preservação, tem como base de dados e fundamentos legais que regem as leis de uso e ocupação do solo, na qual o mínimo de 5 m do limite da extensão urbana para que não evadam a área verde. Porém, deva ser por fins lucrativos a população está sofrendo com tal feito, basta verificar por imagens em satélite, estão aceitando o desmatamento para construção da malha urbana, com qual fundamento? Qual finalidade vai ajudar desmatando área de preservação? Os animais estão ficando sem sua moradia natural, a população sofrendo com um todo, pois a cada árvore desmatada, deva se plantar no mínimo 10 unidades similares ou equivalentes, e no entanto não está ocorrendo assim. Salve o verde, salve a força da natureza, eles não vão nos calar. Não tenho poder nenhum perante os governantes, mas eu me ponho a total disponibilidade para ajudar a acabar com a falta de conscientização. #Chega
    34 de 100 Assinaturas
    Criado por Davidson Lucas Mendes Saoares Picture
  • UMA CIDADE SEM ÁRVORES É UMA CIDADE MAIS POLUIDA
    A importância do não corte das Árvores está ligada a vários fatores: Uma grande árvore pode providenciar as necessidades de oxigênio para nossa existência Retém CO2 Árvores podem reduzir a incidência de asma, câncer de pele e doenças relacionadas ao estresse, pois ajudam a diminuir a poluição do ar, promovem sombreamento e um ambiente atrativo, calmo e adequado para recreação Ajudam a reduzir em até 10% o consumo de energia por meio do efeito de moderação climática local Desenvolvem um papel importantíssimo no ecosistema pois são responsáveis por manter mais de 50% da biodiversidade Árvores reduzem poluição sonora e os ventos, mantendo umidade do ar e chuvas regulares Fornecem base para produtos como medicamentos e chás, além de frutas, flores, sementes, fibras, madeira, látex, resinas e pigmentos Promovem saúde dos solos e evitam erosão com suas raízes Beleza natural para nossos olhares e almas.
    23 de 100 Assinaturas
    Criado por Penelope Alvarenga Picture
  • Lago de Palmas águas douradas do Tocantins
    É importante manter o meio AMBIENTE livre de poluição em nosso ar e água , para preservar o ecossistema de nossa região.
    72 de 100 Assinaturas
    Criado por Elizabete Gomes Ferreira Gomes Ferreira
  • SOS Floresta do Camboatá - Diga Não Ao Autódromo no Rio de Janeiro
    Precisamos da ajuda de todos que amam a natureza, pois não queremos autódromo nessa região de Deodoro, vim hoje aqui para lhe pedir uma grande ajuda, eu e meu grupo ecológico, mais outras pessoas de outros grupos, estamos completamente envolvidos a favor de uma floresta que representa muito para nós. E como existem outras áreas do exército próxima a Deodoro mesmo que já foram degradadas anteriormente, desde o PAN AMERICANO em 2008 que pode ser utilizadas para a construção do autódromo e que não ira causar tanto impacto. Nós, humanos e os animais, já estamos sendo muito atingidos com a poluição do ar, poluição sonora e com a alteração do clima, onde nota-se nitidamente a elevação da temperatura causada pelo desmatamento.A FLORESTA DE CAMBOATÁ EM DEODORO é o último lugar de MATA ATLÂNTICA DE ÁREAS PLANAS do Município do Rio de Janeiro com nascentes e áreas úmidas onde no período de cheias ressurgem os peixes rivulídeos, conhecidos como peixes das nuvens, porque reaparecem com as chuvas. Trata-se de uma região ÚNICA COM UM ECO-SISTEMA equilibrado e que MORRERÁ se sofrer as intervenções necessárias para se instalar ali o autódromo. Por isso, por ser ÚNICO, este paraíso ecológico, pedra preciosa, tesouro ambiental precisa ser PRESERVADO. Quem afirma isso é uma equipe de pesquisadores do Instituto Jardim Botânico que conhecem bem o local porque desde a década de 80 iam para lá desenvolver pesquisas e coletar sementes de espécies nativas raras de MATA ATLÂNTICA para enriquecer a diversidade ambiental do próprio Jardim Botânico com PLANTAS RARAS DE MATA ATLÂNTICA COM AMEAÇA DE EXTINÇÃO.
    275 de 300 Assinaturas
    Criado por Ana Sonegheti Picture
  • Salvem a RESEX de Canavieiras, Bahia
    A diferença entre uma RESEX e uma APA é que na RESEX o povo nativo e tradicional, pescadores e marisqueiras artesanais, que causam apenas mínimos impactos ambientais, continuam vivendo dentro da Reserva e é permitido a visitação. Porém, as terras são coletivas e não podem ser alienados ou ocupados por não extrativistas. Numa APA existem certas restrições ambientais, porém, permite atividades econômicas, mesmo que limitados, causam diversos impactos. As terras são alienáveis, qualquer um pode ocupa-las. Uma APA no desemboco do Rio Pardo e outros rios da região que formam uma área enorme de ilhas e manguezais, ricas em fauna e flora, teria impactos fatais sobre o equilíbrio deste ecossistema frágil, principalmente com as planejadas construções de Resorts e a ampliação da carcinicultura, o que a RESEX impede. Além do mais, a RESEX tem dispositivos que garantem recursos para as famílias dos extrativistas e a APA não tem. Uma APA com certeza ia prejudicar as comunidades dos extrativistas que iam ser expulsos através da pressão imobiliária.Citamos como exemplos o lindo povoado de pescadores "Atalaia" no sul da Ilha de Atalaia, localizado em uma paisagem paradisíaco e com o seu povo simpático em sua simplicidade e hospitalidade e também "Campinas", uma comunidade localizado em uma pequena ilha rodeada de manguezais, como tantas outras. Uma mudança para uma APA vai anular as conquistas já adquiridos que garantem a conservação ambiental promovida pelo fortalecimento das práticas tradicionais dos pescadores e marisqueiras artesanais. Com a APA , tudo pode voltar a ser como era antes, quando as terras da União eram griladas. Ao final das contas, a RESEX encontra-se 100% em área da União. Por trás da PL da APA estão empresários estrangeiros, carcinicultores, como também segmentos da Prefeitura e Vereadores, se curvando aos ambições destes empresários e envenenando o juízo da população canavieirense, em principio pacifica, causando discussões e inimizades. Por tanto, por favor, votem "DISCORDO" da PL 3068/2015 da APA (em favor da RESEX) e usem também este Link de votação no site da Câmara de Deputados: https://forms.camara.leg.br/ex/enquetes/1738598/resultado A RESEX agradeça!
    17 de 100 Assinaturas
    Criado por Elke Jakob
  • Sete milhões de agres da Amazônia vedidos pelo Equador para companhias de óleo.
    Se estes 7 milhões de agres forem vendidos a companhias de óleo para a extração do petróleo, 7 milhões de agres da Amazônia serão devastados e levando com isso seus animais e a casa da a comunidade indígena Waorani.
    24 de 100 Assinaturas
    Criado por Fernanda Galligan Picture
  • O Brasil precisa de mais ferrovias
    Todos sabemos que os trens foram desativados, a partir dos anos de 1960, contra o interesse do povo. Todos sabemos que na década de 1990 houve a privatização "do resto dos trens", que a empresa que comprou a malha férrea, por interesse obscuro, não investe na recuperação dos trens, como se obrigou. O governo brasileiro investir em ferrovias, um transporte mais rápido, mais barato e menos poluente que poderia impulsionar a infraestrutura brasileira - e tiraria a dependência do transporte rodoviário, que representa 65% do total e atrapalha o trânsito nos grandes centros, é mais poluente, deixa as empresas mais suscetíveis a roubos de carga, custa mais e leva a mais acidentes.
    374 de 400 Assinaturas
    Criado por Laura Xavier Picture
  • Extinção de árvores
    A extinção de árvores é a banalização de desmatamento constante!
    23 de 100 Assinaturas
    Criado por Jaime Santos Dos Santos Picture
  • Sem água seremos pó
    Nos últimos anos a cidade tem enfrentado uma forte seca agravada por explorações dos recursos naturais de maneira desenfreada, como a derrubada do cerrado para a produção de carvão é consequetemente a criação de pastos para criação de gado ou para a produção de madeira utilizando monocultura. Essa exploração excessiva tem esgotado nossos recursos naturais é tem forte impacto sobre nossas nascentes, o que provoca a falta d'água. Podemos reverter essa situação com a criação de uma política pública de desenvolvimento que não tenha tantos impactos negativos sobre o meio ambiente como o uso da agroecologia, que fovorece o pequeno agricultor é produz alimentos para a população. A união da povo é de fundamental importância nesse momento. Por isso divulgue essa petição, para mostrar para os nossos administradores que estamos atentos as mudanças sofridas no município é que não vamos nos calar. SEM ÁGUA SERAMOS PÓ
    75 de 100 Assinaturas
    Criado por Gerle Adriano M. Santana Picture
  • Salvem Paranapiacaba
    Um projeto de construção de um centro logístico em Paranapiacaba, no município de Santo André, na região do ABC, tem sido alvo de protestos de ambientalistas e parte da população local. A obra pode desmatar até 300 mil metros quadrados de área verde, incluindo mananciais da represa Billings. Segundo a empresa, quando a obra estiver completada, a área ocupada será de 920 mil m². Pelo menos um terço do local terá de ser desmatado, o equivalente a 45 campos de futebol. Fonte: G1
    29 de 100 Assinaturas
    Criado por Wilson Rocha
  • Salve Rios,Bacia hidrográfica,nascentes,reservas e animais em extinção!
    Vários municípios e o Estado, irão sofrer os impactos ambientais,por uma proposta da Prefeitura do município de Nova Serrana em Minas Gerais, em implantar Aterro sanitário em uma fazenda onde existem o Rio Pará que deságua no Sao Francisco,Rio Charneca,nascentes ,área de reserva com animais em extinção. Um hectare é necessário para o Aterro Sanitario,logo, não justifica uma fazenda de 174 hec, e existem outros imóveis que não prejudicarão o meio ambiente. Nesta fazenda existem irregularidades, como arrendamento de pasto e outros Fazendeiros se beneficiando no imóvel que o Estado cedeu pra finalidade do Aterro. Em uma REUNIÃO com A Mesa de Diálogo do Estado e em uma Audiência publica,segundo o MP,DH,DP e outros Órgãos e Secretarias do Governo,o Estado Pode Retomar a Área total da fazenda, devido as irregularidades apresentadas, e não atribuir a outros a responsabilidade que e dele. Nesta fazenda moram 150 famílias,entre elas crianças,deficientes,idosos,produzindo para autossustentação e preservando o meio ambiente,e, estas, tem total apoio da população e da Câmera do vereadores,pois fazem parte do histórico do município de nova Serrana , que, 75% da população,são atraídas pelo emprego, nas mais de 1800 fabricas de calçados existentes no município. existe uma Reintegração de posse para o dia 26-04-2018, segundo o Prefeito,de forma arbitraria,somente as famílias serão despejadas, e os outros ocupantes como,Fazendeiros, Permanecerão, e, estas famílias,ha 5 anos, tem ajudado a preservar o meio ambiente local. Segundo o Sr. Osmar Santos,presidente da Câmera dos Vereadores do município de Nova Serrana, esta disposto com os vereadores,fazerem um projeto Lei,que garanta a Preservação do Meio ambiente em um projeto que acolha as famílias. Assim com os apoios da sociedade, buscamos Salvar Rios,bacia hidrográfica,nascentes, reservas e animais em extinção existente na Fazenda Canta Galo,acolhendo as famílias em um projeto social.
    10 de 100 Assinaturas
    Criado por Clelia Helena Marioto
  • Salve o Igarapé do Leão
    A implantação da lixeira em terras tão próximas de curso d'água com tal importância chega a ser criminosa, pois não dá margem de segurança a falhas nos processos de defesa ao meio ambiente. A cêrca 1 km mais a frente, o Igarapé é um balneário público, utilizado por centenas de famílias nos finais de semana e feriados. Este vai ser o primeiro a acabar Quem conheceu a Ponte da Bolívia em Manaus antes da instalação da lixeira do Km 5 AM010, sabe exatamente do que estamos falando. Hoje este igarapé que já foi um dos maiores balneários está totalmente poluído e abandonado. A lixeira está sendo instalada praticamente em área urbana, pois está localizada no Km 13 da BR-174 e quem conhece Manaus, sabe que a cidade só cresce para aqueles lados. A alguns anos atrás, os governantes foram alertados sobre a imprudência em liberar uma lixeira no Km 19 da AM-010, às margens de igarapés e nascentes existentes na área. O alerta foi ignorado e a lixeira instalada. Em decorrência disto, o maior e melhor balneário da cidade, área de laser dos fins de semana e feriados de todos os manauaras, denominada PONTE DA BOLÍVIA, foi totalmente poluída e destruida. A empresa que construiu essa lixeira, é a mesma que vai poluir o maior afluente do Rio Tarumã e acabar com outra área de lazer dos Manauaras, que é o Igarapé do Leão, ás margens do Km-010 da BR-174
    1.535 de 2.000 Assinaturas
    Criado por Maria das Graças Costa de Lima