• A Greve Pelo Clima em sua cidade
    Preservação do ambiente é um dever e uma preservação que todos devemos realizar.
    1 de 100 Assinaturas
    Criado por Camile Teresa Freitas
  • O Pantanal está queimando! E a culpa são dos governantes!
    Preservar a natureza é constitucional, é um dever e um direito do cidadão usufruir e conservar o Pantanal. Contudo, com esta exploração bárbara, já não existirá mais o ecossistema que via-se 5, 10 anos atrás. Até quando iremos deixar que os governantes destruam a riqueza brasileira? A maior planície alagada do mundo? Temos que fiscalizar já! Junte-se a Iniciativa Pantanal Limpo para um ecossistema mais consciente.
    118 de 200 Assinaturas
    Criado por Iniciativa Pantanal Limpo
  • NÃO À DERRUBADA DE ÁRVORES DO COMPLEXO RAPADURA
    A Praça Mauro Broco, às margens do Córrego Rapadura, faz parte do Complexo da Rapadura, um espaço com vasta flora: aroeira-salsa (Schinus molle), eucalipto (Eucalyptus sp.), figueira-benjamim (Ficus benjamina), ipê-de-el-salvador (Tabebuia rosea), jacarandá-mimoso (Jacaranda mimosifolia), jerivá (Syagrus romanzoffiana), pau-ferro (Libidibia ferrea var. leiostachya), romãzeira (Punica granatum) e sibipiruna (Poincianella pluviosa var. peltophoroides). Já foram registradas 108 espécies vasculares, das quais estão ameaçadas de extinção: cedro (Cedrela fissilis), pau-brasil (Paubrasilia echinata) e pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifolia). Sua FAUNA é composta majoritariamente de aves, como o periquito-rico, maracanã-pequena, periquitão-maracanã, anu-branco, anu-preto, joão-de-barro, ferreirinho-relógio, guaracava-de-barriga-amarela, sabiá-laranjeira, sanhaço-do-coqueiro e cambacica. Além das aves, nas noites quentes e úmidas, o sapo-cururu pode ser avistado. Tudo isso será devastado pelo MetrôSP, sem comunicação antecipada à comunidade e sem busca por soluções inteligentes de preservação desse espaço fundamental para a comunidade e para o meio ambiente.
    386 de 400 Assinaturas
    Criado por Peterson Prates
  • Contra violação ambiental
    Precisamos que as autoridades judiciais impeçam que haja mais uma violação à natureza, com consequências na alteração climática e no risco à vida dos moradores. Se não importa simplesmente respeitar a legislação que trata de regular o respeito à natureza com a criação das APAS, nos resta ressaltar os danos ambientais ao clima e à qualidade de vida da vizinhança, que não tem como absorver mais quarenta e quatro famílias numa rua sem saída, num terreno que não foi utilizado à época da construção dos prédios pela excessiva proximidade à montanha. A violação à Reserva São José está diretamente ligada à alteração climática e, principalmente, a perversa especulação imobiliária que expõe famílias ao risco eminente de um possível desastre causado por chuvas fortes, que causam avalanches de vegetação nos morros, a exemplo do que já ocorreu no passado, com o desabamento de um prédio em Laranjeiras e mais recentemente com a tragédia em Muzema. Vidas importam! A natureza importa!
    17 de 100 Assinaturas
    Criado por Thalía dos Santos
  • Salvar nascente
    Preservar uma área proxima a escolas e familias. Em um bairro de alto poder aquisitivo.
    19 de 100 Assinaturas
    Criado por Sitio Brumado Picture
  • Proteja a Mata Atlântica em Palmácia
    A criação e/ou ampliação de uma unidade de conservação que possa abranger as áreas de Mata Atlântica em Palmácia (segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais cerca de 64% do território municipal está dentro do Bioma Mata Atlântica, enquanto apenas 0,76% do município está protegido por uma UC), possibilitará a proteção ambientais de áreas de alta beleza cênica como os Picos do Santo Cruzeiro e da Torre da Lua, o Açude da Comissão e a Pedra do Bacamarte. Além disso, possibilitará a preservação das diversas espécies da fauna e da flora, tais como: PACOTÊ (Cochlospermum vitifolium) IMBURANA-DE-CHEIRO (Commiphora leptophloeos) Orquídea Cebolete (Cohniella cebolleta) Umarizeira (Calliandra spinosa) Macambira (Bromelia laciniosa) Bromélia (Aechmea tocantina) Bromélia (Aechmea aquilega) Liana (Diplopterys lutea) Orquídea (Oeceoclades maculata) Pajeú (Triplaris gardneriana) Barriguda (Ceiba glaziovii) Pau-d'arco-amarelo (Tabebuia serratifolia) Orquídea (Epidendrum ciliare) Amor-entrelaçado (Antigonon leptopus) Orquídea (Catasetum macrocarpum) Palma-doce (Nopalea cochenillifera) Palmeira-catolé (Syagrus cearensis) Cajazeira (Spondias mombin) Palméira-babaçu (Attalea speciosa) Picão-de-padre (Cosmos caudatus) Capim-pé-de-galinha (Eleusine indica) Orelha-de-onça (Tibouchina heteromalla) Animais Gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris) Calango-de-pedra (Tropidurus semitaeniatus) Enyalius bibronii Calango-cego (Polychrus marmoratus) Camoatim - Maribondo (Polybia scutellaris) Maribondo-de-chapéu (Apoica pallida) Iguana-verde (Iguana iguana) Pica-pau-verde-barrado (Colaptes melanochloros) Casaca-de-couro-da-lama (Furnarius figulus) Ariramba-de-cauda-ruiva (Galbula ruficauda) Papacum (Forpus xanthopterygius) Anu-branco (Guira guira) Falcão-peregrino (Falco peregrinus) Besourinho-de-bico-vermelho (Chlorositilbon lucidus) Surucuá-de-barriga-vermelha (Trogon curucui) Rolinha-picui (Columbina picui) Sabiá-barranco (Turdus leucomelas) Beija-flor-tesoura (Eupetomena macroura) Alma-de-gato (Piaya cayana) Bico-chato-amarelo (Tolmomyias flaviventris) Tuim-santo (Forpus passerinus) Socó-boi (Tigrisoma lineatum) Sainhaçu-de-ingazeiras (Tangara cyanocephala) Saí-azul (Dacnis cayana) Jacu (Penelope jacucaca) - AMEAÇADO DE EXTINÇÃO Gavião-carijó (Rupornis magnirostris) Fogo-apagou (Columbina squammata) Jaçanã (Jacana jacana) Urubu-de-cabeça-amarela (Cathartes burrovianus) A proteção das áreas de Mata Atlântica em Palmácia possibilitarão que as futuras gerações possam ter direito a um meio ambiente equilibrado, garantindo também a conservação do habitat de centenas de espécies, bem como a proteção de riachos, nascentes e a cachoeiras.
    244 de 300 Assinaturas
    Criado por Mateus Andrade
  • Salvar a APA de Campinas
    Preservação do meio ambiente da fauna e da flora local, além de impedir o crescimento desordenado na região
    40 de 100 Assinaturas
    Criado por Sandra Venancio Picture
  • Mata atlântica viva
    Há anos nossas florestas vem sofrendo com o desmatamento tanto de grandes corporações quanto de pessoas que são vítimas do descaso gerado pelo estado, não tendo seu direito a uma moradia justa acabam invadindo um patrimônio de grande valor para nós e para as futuras gerações, dentro da cidade de São Paulo uma das maiores cidades do mundo temos uma potencia de mata incrível, a serra da cantareira localizada na zona norte de São Paulo tem bioma mata atlântica um dos biomas mais ricos do mundo só aves temos mais de 300 nesse pequeno fragmento de mata, tendo visto sua potencialidade é de grande importância mantela de pé.
    63 de 100 Assinaturas
    Criado por Jonatas Ramos
  • VELHO CHICO VIVE
    Os órgãos envolvidos desconsideram a crise que vivemos na bacia em função da baixa vazão do rio, que afeta todas as regiões, na qual as vazões ecológicas das barragens que já existem tiveram seus limites alterados para baixo - não há água suficiente nem mesmo para produzir a energia projetada nas UHEs localizadas na região sub média e baixa da bacia. É importante reiterar que a usina coloca em risco a sobrevivência de inúmeras comunidades tradicionais que vivem não só na região, mas em toda a bacia, como povos indígenas, comunidades quilombolas, pescadoras, vazanteiras e pequenos agricultores É importante preservar o Rio São Francisco tão prejudicado pelas intervenções humanas.
    26 de 100 Assinaturas
    Criado por Coletivo Velho Chico Vive
  • Proibição de venda de carros a gasolina e diesel
    O transporte é uma das maiores fontes de poluição do ar e tem um impacto negativo significativo no meio ambiente e na saúde humana. A poluição do ar causa mais de 7.700 mortes prematuras a cada ano a um custo de mais de 36 bilhões de euros. Outros países ao redor do mundo - incluindo França, Reino Unido, Noruega e Holanda - estão tomando medidas decisivas para proibir a venda de carros a gás e diesel até 2040 ou mais cedo e para abrir caminho para inovações e alternativas mais ecológicas. A China, o maior mercado de automóveis do mundo, também planeja interromper a produção de veículos a gás e diesel. Se governos de todo o mundo fizerem essas declarações, as montadoras serão forçadas a fazer alterações em seus produtos e os investimentos em infraestrutura mais limpa serão acelerados. É hora de planejar um futuro mais verde, proibindo a venda de carros a gás e diesel até 2040 ou mais cedo. Assine e compartilhe esta petição hoje.
    12 de 100 Assinaturas
    Criado por Slava Digriz Picture
  • Evitar emissões de CO2 dos veículos
    Estima-se que existam cerca de 1,4 bilhão de carros, ônibus e caminhões no mundo. Se pararmos de usar até um quarto dos veículos no mundo por um período de 24 horas, impediremos que 52.500 toneladas de CO2 sejam liberadas. Isso nem leva em consideração todos os outros gases e partículas de efeito estufa liberados pelos carros. Inscreva-se nesta petição e caminhe ou ande de bicicleta por um dia e, se um número suficiente de pessoas fizer isso, ajudaremos significativamente nosso planeta em deterioração. Se for bem-sucedido, este evento poderá se tornar anual e, com sorte, mais e mais pessoas poderão participar.
    8 de 100 Assinaturas
    Criado por Slava Digriz Picture
  • PEDIR UMA FASE DE VEÍCULOS A GASOLINA
    A extração, transporte, refino e uso de petróleo e gasolina causam danos a pessoas, ar, água, terra, animais e plantas. A exaustão do motor a gasolina polui o ar, causando asma, doenças cardíacas e pulmonares, câncer, demência e milhares de mortes prematuras a cada ano. A exaustão de veículos afeta crianças, comunidades desfavorecidas e comunidades de cor, com impactos desproporcionais à saúde, finanças e qualidade de vida. No passado, adotamos regulamentos razoáveis ​​para veículos para exigir cintos de segurança, airbags, conversores catalíticos, gás sem chumbo e outras melhorias para proteger a saúde e a segurança. É hora de agir novamente. A eletricidade já é viável como uma alternativa limpa à gasolina. Os custos de combustível e manutenção de um veículo elétrico já são mais baratos que os dos carros a gasolina, e os preços das vinhetas de veículos elétricos devem ser mais baratos em meados da década de 2020. Para proteger a saúde pública, limpar o ar, retardar o aquecimento global e promover a justiça econômica e ambiental, pedimos a nossos funcionários locais, estaduais e federais que garantam que, a partir de 2030 ou mais cedo, todos os novos veículos vendidos sejam veículos limpos, sem emissão de carbono, não veículos a gasolina ou diesel.
    4 de 100 Assinaturas
    Criado por Slava Digriz Picture