• Não ao Centro Logístico em Paranapiacaba
    O Centro logístico ameaça uma área de proteção ambiental com importantíssimo valor histórico nacional, turístico, paisagístico e de serviços ambientais como provisão de águas para a Represa Billings, prevenção de doenças, sequestro de carbono, abrigo para espécies raras e/ou ameaçadas de extinção, etc. O progressivo aumento do tráfego de caminhões e carretas afetariam o turismo por colocar em risco ciclistas, visitantes em ônibus turísticos, espécies sensíveis aos metais pesados expelidos pelos escapamentos dos veículos e a qualidade ambiental. Tais impactos colocam em risco mais de 18 anos de estudos, desenvolvimento, geração de trabalho e renda, e aprimoramento do turismo na Vila Histórica de Paranapiacaba, tombada no âmbito municipal, estadual e federal, ou seja, potencial atrativo para pessoas de diversos municípios, estados, países, faixas-etárias e classes sociais. Assine e diga não ao Centro Logístico em Paranapiacaba! Fonte: SOS Paranapiacaba
    70 de 100 Assinaturas
    Criado por Raquel Arminda Picture
  • NÃO A CONSTRUÇÃO DA BARRAGEM NA CIDADE DE PEDREIRA-SP #BarragemNÃO
    ALTO RISCO PARA A POPULAÇÃO A barragem que será construída na cidade de Pedreira-SP está classificada como DANO POTENCIAL ALTO pela sua proximidade à cidade. Em uma escala que vai de 1 à 30, ela possui 27 pontos, quando o máximo indicado para a segurança mínima é 16 pontos, conforme classificação do CNRH (Conselho Nacional de Recursos Hídricos). Será construída a menos de 3 km da cidade, com mais de 50 metros de altura, referente a um prédio de 16 andares. Seu reservatório será capaz de inundar até 10 estádios de futebol, como o do Maracanã. Caso seja rompida, a água atingirá as casas em menos de 2 minutos. Além da fiscalização precária que temos hoje no Brasil ela também não possui um plano de segurança ou emergência. A ÁGUA IRÁ PARA PAULINIA A Barragem de Pedreira-SP servirá para abastecer a refinaria de Paulínia-SP (REPLAN) que está passando por uma modernização e capta 660 litros de água por segundo para produção de diesel e gasolina. SERÁ CONSTRUÍDA PELA OAS Cetenco A OAS é conhecida nos noticiários como uma empresa envolvida com muitos crimes políticos, como caixa 2 e pagamento de propina a políticos. IMPACTO NA NATUREZA O impacto ambiental é muito significativo. Na região da construção das barragens existem áreas de proteção ambiental que serão alagadas. Muitas espécies de plantas, árvores e animais que estão ameaçados de extinção e são vulneráveis ao desmatamento serão mortos. Sítios arqueológicos estão já estão sendo destruídos e muitas árvores centenárias já foram cortadas. Com essas mudanças nas águas feitas para um reservatório de água artificial vem o desequilíbrio ambiental que favorece o aumento de insetos que espalham doenças como dengue e zika vírus. VIDAS HUMANAS SERÃO ATINGIDAS Na cidade há grandes instalações comerciais e residenciais. Existem pessoas ocupando permanentemente as áreas que serão afetadas. De acordo com o artigo 8, inciso V da Lei de Política Nacional de Proteção e Defesa Civil, é vedada novas ocupações em áreas de alto risco, como as que ficarão abaixo da represa, ou seja, a maioria dos bairros de nossa cidade como Ricci, Vila São José, Barbim e centro, que serão os primeiros a serem atingidos. Dessa forma os imóveis serão desvalorizados e não poderão mais ser construídas novas casas na região, diminuindo assim o progresso da cidade. ALTERNATIVAS PARA A CRISE HÍDRICA Pedimos ao poder público responsável a priorização do combate: à poluição dos rios, à perda de água, a melhora no saneamento básico, o reflorestamento de matas ciliares e a recuperação das nascentes. Dessa forma em pouco tempo teremos mas água e com qualidade. #barragemNÃO A favor da Vida!
    1.304 de 2.000 Assinaturas
    Criado por Barragem NÃO! Pedreira-SP Picture
  • OS PÁSSAROS PEDEM SOCORRO
    Estão construindo prédios de 10 andares na Av. João Pessoa em frente ao Parque. Isto está interferindo na circulação dos pássaros na região. No local existem muitas casas com pátios onde tem muitas árvores (araçá, pitanga, coquinho, abacate, ameixa, laranja, entre outras nativas e exóticas: são mais de 30 árvores) que servem de alimento e abrigo para pássaros (sabiá laranjeira, sanhaçu azul, sanhaço laranja, periquitos, papagaios, cambacicas, pardal, pomba rola, pica pau amarelo, várias espécies de beija flor, gavião, sabiá una), insetos, morcegos. Já esta sendo construído uma prédio em local onde foram derrubadas várias árvores, entre elas uma araucária de mais de 50 anos que era local de nidificação de bem-te-vis e rabos-de-palha. Pássaros que não são mais vistos na região. Já foram derrubadas 11 árvores sendo que a compensação ambiental seria plantar 3 mudas no local em janeiro de 2018 e que não foram plantadas até agora. Além disto, a construção de prédios altos vai dificultar a circulação de ar na região e influenciar na qualidade de vida das pessoas que ali habitam. Ainda, a construção de mais prédios vai aumentar o afluxo de carros e pessoas na região dificultando a mobilidade sendo que hoje já temos congestionamentos na av. João Pessoa e arredores. O parque é uma importante área verde próxima ao centro da capital contribuindo para a circulação do ar e consequente diminuição da poluição mas isto será modificado com a construção de prédios altos na região.
    79 de 100 Assinaturas
    Criado por Suzana Nietiedt
  • Vamos acabar com o lixão na DF-250
    Problemas de saúde pública, como proliferação de vetores de doenças (moscas, mosquitos, baratas e ratos, etc.), geração de maus odores e principalmente, a poluição do solo e das águas superficiais e subterrâneas através do chorume
    36 de 100 Assinaturas
    Criado por Henrique Barata
  • Não à derrubada de Mata Atlântica e não à canalização do Arroio Espírito Santo em Porto Alegre
    A área de mata nativa, bem como a sua fauna com espécies em Risco de Extinção, estão ameaçados pelo empreendimento da empresa MAIOJAMA que pretende construir um loteamento com prédios residenciais. Os cidadãos se preocupam com as possíveis alterações no microclima da região, com o desalojamento de espécies de animais (Bugio-Ruivo-Alouatta guariba), com a derrubada de árvores típicas de Mata Atlântica e a preservação do Arroio Espírito Santo. Apoiam essa causa as Associações e Moradores da Cidade de Porto Alegre. CLUBE DO PROFESSOR GAÚCHO ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO GUARUJÁ AGAPAN - ASSOCIAÇÃO GAÚCHA DE PROTEÇÃO AO AMBIENTE NATURAL AMBI - ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO IPANEMA ONG TODA VIDA CCD - CENTRO COMUNITÁRIO DE DESENVOLVIMENTO ASSOCIAÇÃO CULTURAL DA RÁDIO COMUNITÁRIA DO BAIRRO IPANEMA COLETIVO AMBIENTE CRÍTICO ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO PORTAL DO GUARUJÁ GREENPEACE - Voluntários da Grande Porto Alegre
    33.673 de 35.000 Assinaturas
    Criado por Cínthia Bordini Picture
  • Por um Parque na Penha SP.
    A poluição e o estresse urbano são causas potenciais de transtornos físicos e mentais como: doenças cardiovasculares, alergia, problemas respiratórios, depressão, síndrome do pânico e ansiedade. Sem a natureza, a qualidade de vida diminui. Vemos nesta região da cidade, o corte cruel de abacateiros, caquizeiros, nêsperas, goiabeiras, amoreiras, limoeiros, pitangueiras entre outras árvores frutíferas ou não. Isto é ruim para todos nós principalmente, para o futuro das nossas crianças. Precisamos agir à favor da nossa saúde, da nossa tranquilidade e por um futuro viável, dentro dos padrões sustentáveis.
    18 de 100 Assinaturas
    Criado por Marcia CF
  • Contra o Desmatamento na Gávea
    Na quinta-feira, dia 04 de outubro, um grupo de 30 moradores se reuniu em frente ao terreno para impedir a entrada das motoserras. O terreno foi preservado, mas não há qualquer sinalização por parte dos proprietários de que desistirão desse empreendimento. Esta área verde da Gávea continua sob risco iminente de desmatamento e é por isso que precisamos reunir um grande número de assinaturas, que serão entregues ao proprietário do terreno para que entenda que essa questão é de todos nós.
    3.744 de 4.000 Assinaturas
    Criado por Moradores da Gávea
  • Preservação da Àrea Verde da Serra de Santa Helena Sete Lagoas MG
    Pois bem, toda área de preservação, tem como base de dados e fundamentos legais que regem as leis de uso e ocupação do solo, na qual o mínimo de 5 m do limite da extensão urbana para que não evadam a área verde. Porém, deva ser por fins lucrativos a população está sofrendo com tal feito, basta verificar por imagens em satélite, estão aceitando o desmatamento para construção da malha urbana, com qual fundamento? Qual finalidade vai ajudar desmatando área de preservação? Os animais estão ficando sem sua moradia natural, a população sofrendo com um todo, pois a cada árvore desmatada, deva se plantar no mínimo 10 unidades similares ou equivalentes, e no entanto não está ocorrendo assim. Salve o verde, salve a força da natureza, eles não vão nos calar. Não tenho poder nenhum perante os governantes, mas eu me ponho a total disponibilidade para ajudar a acabar com a falta de conscientização. #Chega
    33 de 100 Assinaturas
    Criado por Davidson Lucas Mendes Saoares Picture
  • NÃO AO LIXO NA RUA
    Existem muitos outros problemas, mas vamos falar sobre enchentes. Especificamente nos rios, a enchente ocorre porque o lixo causa o assoreamento. Neste processo ocorre o acúmulo de lixo, entulho e outros detritos no fundo dos rios. Com isso, o rio passa a suportar cada vez menos água, provocando enchentes em épocas de grande quantidade de chuvas .O problema de entupir boeiro é só mais um dos problemas que agravam as enchentes.
    43 de 100 Assinaturas
    Criado por Micheli Doria Picture
  • Pelo fim dos canudos em Goiás!!
    Uma pesquisa feita por organizações ambientais, mostra que o plástico constituiu 90% do lixo flutuantes dos oceanos, e que os canudos estão no topo dessa cadeia. Por não ser um produto biodegradável, pode levar até mil anos para se decompor no meio ambiente! E não adianta usar o canudinho de plástico, jogar na lixeira e achar que está tudo bem. Mesmo se descartado corretamente, e levado a aterros legalizados, o canudinho pode escapar pela ação do vento (principalmente por ser leve) e ser carregado pela chuva para mares e rios, impactando toda a fauna aquática. Agora vou lhes mostrar 7 motivos para acabarmos com o uso desse utensílio: 1. A quantidade de plástico jogado fora a cada ano é suficiente para dar a volta ao mundo quatro vezes. 2. Cerca de 1.000.000 de aves marinhas e 100.000 mamíferos marinhos morrem anualmente por conta da poluição de plástico nos mares. 3. Alguns compostos encontrados no plástico foram acusados de alterar nossos hormônios. 4. 88% da superfície dos oceanos do mundo está contaminada com lixo plástico. 5. Só em Los Angeles, 10 toneladas de plástico são levados ao Oceano Pacífico por dia. 6. Hoje em dia só reciclamos 5% do plástico que usamos. 7. Praticamente todo o plástico já produzido no mundo ainda existe de alguma forma (com exceção de uma pequena parte que foi incinerada).
    42 de 100 Assinaturas
    Criado por mateus andré gonçalves rodrigues
  • SOS Floresta do Camboatá - Diga Não Ao Autódromo no Rio de Janeiro
    Precisamos da ajuda de todos que amam a natureza, pois não queremos autódromo nessa região de Deodoro, vim hoje aqui para lhe pedir uma grande ajuda, eu e meu grupo ecológico, mais outras pessoas de outros grupos, estamos completamente envolvidos a favor de uma floresta que representa muito para nós. E como existem outras áreas do exército próxima a Deodoro mesmo que já foram degradadas anteriormente, desde o PAN AMERICANO em 2008 que pode ser utilizadas para a construção do autódromo e que não ira causar tanto impacto. Nós, humanos e os animais, já estamos sendo muito atingidos com a poluição do ar, poluição sonora e com a alteração do clima, onde nota-se nitidamente a elevação da temperatura causada pelo desmatamento.A FLORESTA DE CAMBOATÁ EM DEODORO é o último lugar de MATA ATLÂNTICA DE ÁREAS PLANAS do Município do Rio de Janeiro com nascentes e áreas úmidas onde no período de cheias ressurgem os peixes rivulídeos, conhecidos como peixes das nuvens, porque reaparecem com as chuvas. Trata-se de uma região ÚNICA COM UM ECO-SISTEMA equilibrado e que MORRERÁ se sofrer as intervenções necessárias para se instalar ali o autódromo. Por isso, por ser ÚNICO, este paraíso ecológico, pedra preciosa, tesouro ambiental precisa ser PRESERVADO. Quem afirma isso é uma equipe de pesquisadores do Instituto Jardim Botânico que conhecem bem o local porque desde a década de 80 iam para lá desenvolver pesquisas e coletar sementes de espécies nativas raras de MATA ATLÂNTICA para enriquecer a diversidade ambiental do próprio Jardim Botânico com PLANTAS RARAS DE MATA ATLÂNTICA COM AMEAÇA DE EXTINÇÃO.
    129 de 200 Assinaturas
    Criado por Ana Sonegheti Picture
  • Sem água seremos pó
    Nos últimos anos a cidade tem enfrentado uma forte seca agravada por explorações dos recursos naturais de maneira desenfreada, como a derrubada do cerrado para a produção de carvão é consequetemente a criação de pastos para criação de gado ou para a produção de madeira utilizando monocultura. Essa exploração excessiva tem esgotado nossos recursos naturais é tem forte impacto sobre nossas nascentes, o que provoca a falta d'água. Podemos reverter essa situação com a criação de uma política pública de desenvolvimento que não tenha tantos impactos negativos sobre o meio ambiente como o uso da agroecologia, que fovorece o pequeno agricultor é produz alimentos para a população. A união da povo é de fundamental importância nesse momento. Por isso divulgue essa petição, para mostrar para os nossos administradores que estamos atentos as mudanças sofridas no município é que não vamos nos calar. SEM ÁGUA SERAMOS PÓ
    73 de 100 Assinaturas
    Criado por Gerle Adriano M. Santana Picture
← Anterior 1 3 4