• Salve o Velho Chico
    Isso é muito importante, porque mudará drasticamente a vida de toda a população ribeirinha e comunidades circunvizinhas., devolvendo o respeito e a dignidade que o nosso rio merece.
    47 de 100 Assinaturas
    Criado por Maria Auxiliadora Coelho Silva
  • Em Defesa do Parque Estadual da Chacrinha
    A legislação urbana não permite que se faça qualquer construção, para qualquer finalidade, sem a obtenção de um alvará de licença de obras. A legislação vigente determina que a mais simples obra, em área privada ou pública, deve antes ter sua autorização deferida pelas autoridades competentes. O mais grave observado aqui é o aspecto de crime ambiental. Uma das conseqüências do desmatamento é a destruição e extinção de diferentes espécies e o rápido processo de erosão do solo, o que, neste caso, onde se situa o objeto desta denúncia, denota iminente tragédia. Não menos importante, vale ressaltar que o crescimento desordenado traz consequências diretas à população, como contribuição significativa às enchentes, aumento demográfico, saturação dos sistemas públicos de saúde, transporte e edução da região onde se observa tal fenômeno e, sem uma política efetiva de segurança pública, possíveis problemas com o aumento dos índices de violência e criminalidade na região.
    27 de 100 Assinaturas
    Criado por Rã Bugio Picture
  • NÃO A BARRAGEM TÓXICA NO XINGU - BELO SUN NÃO!!!
    UMA BARRAGEM DE ALTO RISCO MAIOR QUE A DE FUNDÃO EM MARIANA/MG QUE ROMPEU ASSASSINANDO INÚMERAS PESSOAS E O RIO DOCE NO MAIOR DESASTRE MUNDIAL COM BARRAGENS DOS ÚLTIMOS 100 ANOS É O QUE PRETENDE CONSTRUIR A EMPRESA BELO SUN MINERAÇÃO NA BACIA DO XINGÚ COM O AVAL DO GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ. ESTA EXATA REGIÃO É A MESMA JÁ IMPACTADA PELA CONSTRUÇÃO DA TERCEIRA MAIOR UHE DO MUNDO, A UHE BELO MONTE COMPROMETE O MODO DE VIDA DE POPULAÇÕES TRADICIONAIS LOCAIS, TRIBOS INDÍGENAS INCLUSIVE DE ÁREA ISOLADA E ESTE PROJETO QUE ESTIMA-SE PREVÊ USO DE 37 TONELADAS DE CIANETO,ARSÊNIO E CHUMBO E UMA EXTRAÇÃO QUE PODE CHEGAR A 600 TONELADAS DE OURO EM PLENO CORAÇÃO DA AMAZÔNIA, NA CONTRAMÃO DE ACORDOS INTERNACIONAIS FIRMADOS PELO BRASIL. HÁ UMA AÇÃO NO STF ACO 2991 PELO CANCELAMENTO DESTE LICENCIAMENTO
    46 de 100 Assinaturas
    Criado por Carlos Couto Jr.
  • Ajude a tirar o Aquífero Guarani das mãos da JBS
    A ultima reserva de agua potável do planeta deve ser preservadas para todos nós,seres humanos e o uso inadequado pro este grupo industrial da JBS pode poluir completamente todo o aquífero do Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai.
    60 de 100 Assinaturas
    Criado por Laércio Rodrigues
  • PARE de comprar LIXO: exija embalagens com plástico consciente
    O plástico está intimamente integrado à maioria de nossas atividades cotidianas. Sua utilidade é inegável. Porém, a gestão de seus resíduos causa sérios problemas ambientais no solo, na água e no ar. Apesar de reciclável, o plástico utilizado na composição das embalagens dos refis (cargas) de lâminas de barbear ou depilar não é reciclado no Brasil. Para piorar a situação, o destino de 99% do 1 bilhão de aparelhos e cartuchos descartáveis consumidos anualmente no país são os aterros sanitários, onde sua decomposição demora 50 anos. Não bastasse o grande volume e a destinação inadequada dos resíduos, o número de refis de lâminas de barbear ou depilar por embalagem tem diminuído ao longo da história de sua comercialização no Brasil como uma estratégia para evitar o aumento do preço ao consumidor. Porém, a embalagem continuou a mesma. Consequentemente, é comum a comercialização de apenas dois refis em uma embalagem com espaço para cinco; ou seja, um consumo de matéria‐prima, energia e água na fabricação e uma geração de resíduos 150% maiores do que o necessário.
    37 de 100 Assinaturas
    Criado por Alexandra Santos
  • Lixo?
    É importante conversar com os alunos sobre este assunto, para mostrar que mesmo pequenas ações podem se tornar hábito. Se jogam lixo no chão dentro de uma área escolar, com certeza jogam na rua, o que acaba sendo um problema muito maior, porque põem em risco a vida de pássaros que confundem a sujeira com comida e acabam morrendo sufocados. Sem contar com o entupimento da rede de escoamento de água, que causa enchentes. Se não mudarmos esse comportamento, não teremos razão em pedir ao governo estadual e municipal uma cidade melhor. Se fizermos essa diferença poderemos servir de exemplo para outros e assim causar uma corrente de sustentabilidade, deixando a cidade melhor!!! Não podemos salvar o ártico se bem embaixo do nosso nariz tem um problema que pode sim ser solucionado!
    20 de 100 Assinaturas
    Criado por Matheus Fachin Maciel
  • TERMOELÉTRICA EM PERUÍBE : Vamos pedir Audiência Pública nas cidades atingidas
    O projeto Atlântico Verde Termoelétrica de Peruíbe da empresa vai destruir as Áreas de preservação ambiente, a linha de Transmissão passará próximos as Aldeias Indígenas de Itanhaém e o gasoduto de 90 km passará proximo as cidades....É muito preocupante !! O projeto unclui : - 2 navios plataforma para regaseificação do GNL pars GN - gasoduto de 90km, desde Peruíbe até Cubatão - subestação UTE em Peruíbe - Linha de Transmissão desde Peruíbe até Cubatão
    80 de 100 Assinaturas
    Criado por Syllis Flávia Paes Bezerra
  • Abaixo as usinas termoelétricas!
    Peruíbe, terra da eterna juventude, "Portal" da Juréia, local onde abriga uma das mais importantes biodiversidades do Planeta, que tem por histórico a luta de ambientalistas contra um usina Nuclear, em 1985, e a luta mais recente contra a instalação do Porto Brasil, proposta pelo ex-empresário Eike Batista, em 2oo8. Município do Estado de São Paulo, da República Federativa do Brasil, que possui vocação natural para a ecologia e turismo sustentável, indústrias de tecnologias limpas e fontes de energia renovável, está passando por uma proposta de instalação de uma Usina Termoelétrica, em perímetro urbano, de capacidade de potencia de 1.7oo MW de energia, que irá poluir a nossa atmosfera e transformar drasticamente a nossa paisagem. Visto isso, e considerando todos os acordos firmados internacionalmente, venho a público solicitar apoio a causa.
    57 de 100 Assinaturas
    Criado por Marcelo Saes
  • Hortas comunitárias no lugar de terrenos baldios
    Hoje as cidades possuem um grande números de terrenos abandonados e sem uso a anos, onde acabam virando lixões a céu aberto, contaminando o solo, trazendo animais indesejáveis para as residências vizinhas, riscos de doenças como dengue e sem utilidade. Ter direito à cidade é o direito de produzir um alimento de verdade e permanecer nela. Hoje as políticas públicas dificultam práticas de segurança alimentar, existindo uma insegurança jurídica, pois não sabemos até quando as hortas urbanas poderão existir. Acreditando que a agricultura urbana é uma declaração de amor pela cidade, precisamos nos reconectar com os espaços abandonados e transforma-los em jardins comestíveis, tendo alimentos que respeita o meio-ambiente, sem agrotóxicos e transgênicos, saudáveis, aumentando a qualidade de vida e renda para a comunidade, tendo alimentos frescos, produzindo adubos orgânicos fazendo a compostagem, recuperando espaços inativos, apropriando da cidade, criando hortas de auto-subsistência e de socialização entre as pessoas. Então vamos aumentar a nossa voz e fazer com que ela seja mais importante que a especulação imobiliária, tendo acesso e direito de usar os terrenos baldios de nossa cidade em forma de hortas orgânicas permanentes para todos.
    540 de 600 Assinaturas
    Criado por Rafaela Araújo
  • Leishmaniose, o cão não é o vilão. NÃO À EUTANÁSIA
    Respeito ao meio ambiente e as demais formas de vida. Animais saudáveis estão condenados a morte. Por mais que exista a possibilidade de tratamento, estão condenados a morte por uma medida mais pratica a ser tomada.
    2.560 de 3.000 Assinaturas
    Criado por Luciele de Souza
  • Todos pelo Sumidouro
    Pretendem instalar na paradisíaca ilha de São Francisco do Sul mais um porto. A ilha de São Francisco do Sul é quase 3 x menor que a CIDADE do Rio de Janeiro e menos que 2 x maior que Santos apenas. Já tem um porto público, o TGB um terminal graneleiro que já tem a liberação para destruir vasta extensão de vegetação para o início da construção, o projeto de um porto chamado MarAzul, o estaleiro CMO e este projeto atual Porto Brasil Sul, além de inúmeros armazéns que armazenam grãos e fertilizantes. Fertilizantes que causaram a evacuação de vários bairros, inclusive do hospital, deixando um bombeiro em estado grave por inalação da fumaça., após um incêndio químico em 2015. Vale lembrar que mais armazéns deverão ser construídos porque mais fertilizantes estarão em movimento. São Francisco do Sul se transformará na Nova Cubatão, sem manguezais, águas poluídas e uma bomba relógio com um única saída, uma rodovia de mão dupla para a retirada de quase 50.000 habitantes.O Porto Brasil Sul terá área de 146,28 hectares (o equivalente a 1.460.000 metros quadrados, na entrada do canal de acesso ao Porto de São Francisco do Sul. O acesso pela rodovia Duque de Caxias vai se conectar ao Norte da BR-280, rodovia de acesso ao Porto de São Francisco do Sul. No local deverão ser construídos sete terminais portuários – de contêineres, granéis, cargas gerais, fertilizantes, gás natural, de produtos líquidos, e mais um terminal de veículos, além de centro administrativo.O empreendimento vai ter área acostável de 2.412 metros. Para operar com segurança, está estimada a necessidade de dragagem de 407.600 metros cúbicos (extremamente prejudicial à preservação das Toninhas, animais que vivem na Baia da Babitonga e ameaçadas de extinção) especialmente para atender às demandas dos terminais de granéis fertilizantes e terminal de gás. Ainda será necessário fazer derrocagem de 301.909 metros quadrados e implantação de quebra-mar para viabilizar o terminal de gás. Na região do Sumidouro, onde este porto pretende se instalar, existem espécies da flora endêmicas que não existem em outro lugar. Não há como compensar esta destruição. A população de São Francisco de Sul exige um amplo estudo e avaliação do impacto do trânsito de caminhões nessa localidade, o grau de poluição sonora e das águas, sem contar com o prejuízo a um dos berçários de aves da mata atlântica mais importantes do Sul do país. Haverá a supressão e devastação de mais de 4km de restinga e mangue apenas nas obras do porto, e não há informação sobre como será feito o acesso a este porto de maneira viável já que as estradas que levam até o local não comportam o trânsito de turistas hoje. Provavelmente além dos 4 km devastados será necessária uma devastação ainda maior, além de desapropriações para a construção destes acessos . A cidade já conta com um Porto Público (APSFS), Um Porto Privado (TESC) e do outro lado da baia da Babitonga ainda temos o Porto de Itapoá, sem mencionar outros investimentos da área portuária como o Terminal Graneleiro da Babitonga (TGB), o porto MARAZUL e o estaleiro CMO. Ajudem‐nos a proteger a baia da Babitonga. somos a favor da preservação da Área de Preservação Permanente na praia do Forte e o desenvolvimento da ilha através de projetos sustentáveis e amparados por leis federais. Somos a favor do turismo ecológico, do apoio à micro empresa ligada ao turismo em todas as suas áreas, do turismo esportivo, turismo receptivo e da pesca artesanal. Isto trará renda às famílias locais e o desenvolvimento do município.
    35 de 100 Assinaturas
    Criado por Aninha Tibério
  • Valorizem os Lixões!
    A importância desse tema é muito grande, todos devem enxergar isso! O lixo pode ser uma matéria-prima e voltar transformado para o comércio! A reciclagem gera mais empregos, mais renda. O lixo pode se transformar em energia, através da reciclagem energética, barateando os serviços. A valorização desse setor é benéfica para o meio ambiente e para a população.
    47 de 100 Assinaturas
    Criado por Rafaela Monara Araújo