Para: JUDICIARIO - MINISTERIO PUBLICO ESTADUAL MG E JUIZ DE DIREITO

MACACOS - AUDITORIA EXTERNA INDEPENDENTE

MACACOS - AUDITORIA EXTERNA INDEPENDENTE

Nós, moradores de Macacos (cujo nome oficial é São Sebastião das Aguas Claras), distrito de Nova Lima, MG, localizado a 20 km de Belo Horizonte, região turística pela nossa natureza exuberante, vivíamos de turismo, com a nossa economia toda baseada em bares, pousadas e restaurantes.
Temos em nosso arraial uma igrejinha tombada, datada de 1718.
A nossa bacia hidrográfica desagua no Rio das Velhas, acima da captação denominada Bela Fama, que abastece nada menos do que 45% da Região Metropolitana de Belo Horizonte.
Entretanto, abrigamos tambem nesta pequena bacia 7 barragens de rejeitos da VALE que tem duas grandes minas operando e usando desta nossa bacia.
Duas destas barragens foram declaradas de risco com toque de sirene em nosso arraial.
A sirene foi tocada logo depois do desastre de Brumadinho, sem nenhum preparo da população, colocando pânico em nossos moradores e conseguindo acabar com o turismo, a nossa economia de sobrevivência.
A primeira coisa que fizemos foi pedir um laudo de comprovação da situação de risco das duas barragens, B3B4 em cima das quais foi tocada a sirene. Não tinham pois não foi apresentado.
Como mais uma vez ficou comprovado (vide casos de Mariana e Brumadinho) que não podemos acreditar nos laudos da VALE, solicitamos imediatamente uma Auditoria Externa Independente. Os pedidos foram feitos ao Ministerio Público Estadual em fevereiro mesmo de 2019 e até hoje não obtivemos nenhuma resposta.
A VALE, com um laudo inválido (vide video detalhando este procedimento) declarou as barragens como sendo de risco emergentes, o que não acreditamos, pois temos a copia de um relatório do órgão ambiental do Estado (FEAM) onde a antiga Mineração proprietária da mina de ferro que construiu as duas barragens executou todas as exigencias feitas pelo Estado neste Relatório e paralisou os seus usos desde então.
Então, porque a declaração de risco?
Descobrimos que o risco são para os planos da VALE completamente omitidos de nós moradores do arraial.
Foram omitidos não só pela VALE, como pelo poder publico Estadual, como pela Prdefeitura de Nova Lima, assim como pelo Judiciário, deixando-nos completamente órfãos de informações a que temos direito.
Somente o Ministério Público Estadual comparece (assim mesmo não nos dando nenhuma respostas às questões fundamentais solicitadas a que temos direito) acompanhando reuniões colaterais, de importância sómente para a VALE.
E além do mais, em cima deste falso risco, aprovaram Obras Emergenciais de um acesso e construção de um muro, invadindo áreas de proteção, para contenção das 7 barragens existentes em nossa bacia e não para as duas B3B4 que foram declaradas de Risco.
Está ficando claro que as Obras Emergenciais são para atenderem aos interesses da VALE. Tudo isto com documentações inválidas e procedimentos autoritários, pois não temos nenhum poder publico atuante naquilo que é importante e da competência deles atuando no arraial, a não ser alguns carros de polícia. Até o representante da Defesa Civil se serve do imóvel e da secretária da VALE para receber as pessoas e onde os assuntos são filtrados por ela.
Portanto, o nosso OBJETIVO PRINCIPAL é uma AUDITORIA EXTERNA INDEPENDENTE, a qual tivemos a feliz descoberta que a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) já tinha uma proposta de estudos de barragens elaborada para auxiliar o JUIZ que atua em Brumadinho.
Tivemos conhecimento desta proposta através de reuniões realizadas na Universidade, onde vimos que seria plenamente possível de ampliá-la para Macacos, bastando para tal de uma aprovação do Judiciário, ou seja, do JUIZ, pois a solicitação feita pelo Ministério Público Estadual a nosso pedido, está paralisada desde fevereiro de 2019.

Desculpem o tamanho deste item, mas explicar a nossa situação não é simples e fizemos até um VIDEO, cujo teor explicita melhor os nossos problemas mostrando a região e as nossas faltas de provas para exigirmos qualquer coisa de nossos direitos sociais e ambientais.

Por que isso é importante?

Com esta AUDITORIA, teremos elementos para discutir Verdades e procedimentos que nos estão sendo absolutamente omitidos.
Não existe credibilidade alguma de nossa parte nos procedimentos da VALE, e não é por menos, vejam os indiciamentos dela.
Justificando melhor o nosso objetivo principal é qque foi feita esta segunda versão de nosso video, peça fundamental desta nossa solicitação de ajuda.
Abaixo, o link do video:
https://youtu.be/O7_bU0RfRbM
Aguardando contato.

MINAS GERAIS, JUDICIÁRIO ESTADUAL, BRASIL E INVESTIDORES NO EXTERIOR

Maps © Stamen; Data © OSM and contributors, ODbL